“Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura” Mc 16,15

Paróquia São José se despediu de monsenhor Juliani

Gratidão, fé e humildade. Essas foram as palavras pronunciadas por todos que participaram da missa exequial do monsenhor Luiz Gonzaga Juliani, ocorrida na Matriz da Paróquia São José, em Piracicaba nesta segunda-feira (19), às 15h. A celebração foi presidida pelo bispo diocesano Dom Fernando Mason e concelebrada pelo pároco da Paróquia São José, padre Marcelo Sales, o Vigário Geral, monsenhor Ronaldo Francisco Aguarelli e mais de 50 padres diocesanos e religiosos, além de presença de diáconos permanentes e seminaristas.

Monsenhor Luiz Gonzaga Juliani faleceu no domingo (18), aos 91 anos, em decorrência de falência múltipla dos órgãos, após ficar internado por dois dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Unimed, em Piracicaba, para tratamento de infecção devido à pneumonia no pulmão direito e gastroenterite. Monsenhor Juliani era o presbítero decano da Diocese de Piracicaba.

Em sua homilia, Dom Fernando agradeceu e enalteceu e o trabalho realizado pelo monsenhor Juliani durante os quase 66 anos de ministério sacerdotal. “Somos gratos pela vida doada de monsenhor Juliani à nossa diocese e sabemos que a morte não é a última palavra, ela é o encontro com o Pai”, ressaltou o bispo.

Biografia de Monsenhor Luiz Gonzaga Juliani

Monsenhor Luiz Gonzaga Juliani nasceu em Capivari, no dia 2 de junho de 1927, filho de Thomaz Juliani e Maria Maschietto Juliani. Na Matriz de São João Batista foi batizado, crismado e fez sua primeira comunhão.

Sua formação sacerdotal iniciou-se no Seminário Diocesano de Campinas, onde cursou os antigos ginásio e colegial, prosseguindo no Seminário Central “Imaculada Conceição”, no Ipiranga, na capital paulista, onde fez Filosofia e Teologia. Aos 25 anos, Luiz Gonzaga Juliani foi ordenado presbítero, no dia 08 de dezembro de 1952, pela imposição das mãos do primeiro bispo da diocese, Dom Ernesto de Paula, na Sé Catedral Santo Antônio.

De lá para cá, a vida desse servidor do Reino de Deus, de voz mansa e serena, foi pautada pelo Evangelho de Jesus Cristo. Sempre obediente, mons. Juliani, como é conhecido por todos, aceitou, sem hesitar, todos os desafios que lhe eram confiados. Como sacerdote foi construtor, professor, orientador espiritual e lutador pelas causas sociais.

No mesmo ano que foi ordenado presbítero iniciou seu ministério na Paróquia Santa Bárbara, em Santa Bárbara D’Oeste. Em 1954 voltou à Piracicaba para trabalhar na formação de novos padres no Seminário Diocesano “Imaculada Conceição”. No dia 1º de janeiro de 1964, assumiu como primeiro pároco da Paróquia São José, em Piracicaba, onde atuou por 42 anos e atualmente é pároco emérito e vigário-paroquial. “Na época, quando aqui chegamos, nada foi fácil, mas, a obra de Deus tem que ser realizada e assim, construímos a matriz mesmo a região sendo muito carente”, lembrou o sacerdote durante entrevista para a edição dezembro de 2017 do jornal diocesano “EM FOCO”.

Além da Igreja matriz de São José, também construiu o Cesac (Centro Social de Assistência Social), a creche Maria Maschietto Juliani, além de muitas capelas que posteriormente passaram à condição de paróquias, como a Menino Jesus de Praga, a São Francisco Xavier e a Imaculado Coração de Maria.

Coordenou a Campanha da Fraternidade na diocese e atuou na Câmara Eclesiástica como Defensor do Vínculo. Foi membro do Conselho Diocesano de Presbíteros e do Colégio de Consultores. Por muitos anos exerceu o ofício de Chanceler Diocesano, até janeiro de 2006.

Como recompensa pelos muitos serviços prestados à Igreja, em setembro de 1988 foi agraciado pelo Papa São João Paulo II com o título honorífico de Monsenhor “Capelão de Sua Santidade”. Também recebeu, em 23 de dezembro de 1968, o título de “Cidadão Piracicabano”. No ano seguinte, recebeu também a Medalha do Centenário de Piracicaba, como reconhecimento pelo grande trabalho pastoral e social desenvolvido.

Em julho desde ano foi lançado pelo jornalista Edilson Rodrigues de Morais o livro biográfico de monsenhor Juliani. A publicação intitulada “Monsenhor Juliani — Uma Vida de Fé e Doação” transcreve os causos e acontecimentos que marcaram a história de vida deste religioso, que esteve oficialmente à frente da Paróquia de São José por 42 anos, entre os anos de 1964 a 2006, e foi uma iniciativa do IHGP (Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba).

Quando foi questionado sobre sua vocação sacerdotal, mons. Juliani foi enfático na resposta: “sou grato a Deus, que me fez seu servidor, e a Nossa Senhora, que sempre esteve comigo nesta caminhada, e a São José, intercessor sempre presente em minha vida. Agradeço a Deus, que mesmo com os meus defeitos e pecados, me concedeu a graça de ser padre e de chegar até aqui”.

A Diocese de Piracicaba agradece a vida e ministério de monsenhor Luiz Gonzaga Juliani, que agora intercede por nós junto ao Pai. Que mons. Juliani receba a recompensa do Senhor: “Combati o bom combate, terminei a minha corrida, conservei a fé. Agora só me resta a coroa da justiça que o Senhor, justo juiz, me entregará naquele Dia” (2Tim 4,7-8).

Onde estamos

Av. Independência, 1146 – Bairro Higienópolis
Cep: 13.419-155 – Piracicaba-SP
Fone: 19 2106-7575
Falar Conosco

Horários de Funcionamento

Cúria Diocesana

Segunda à Sexta das 08h às 11:30 e das 13h às 17h.

Assessoria de Comunicação

Segunda à Sexta das 13:30 às 17:30

Diocese de Piracicaba