“Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura” Mc 16,15

Breve histórico dos Planos de Pastorais da Diocese De Piracicaba – Parte 1

Pe. Kleber Fernandes Danelon 14/05/2019  |  16:11:45

A Diocese de Piracicaba está celebrando o seu Jubileu de Brilhante de criação e instalação (1944-2019). São 75 anos de evangelização e muita história já vivida e a ser contada.
Nesses anos, o governo pastoral dessa Igreja Particular tem sido conduzido pelo Espírito Santo através da docilidade de pastores, os sucessores dos apóstolos: Dom Ernesto de Paula, Dom Aníger Francisco de Maria Melillo, Dom Eduardo Koaik, Dom Moacyr José Vitti (CSS) e Dom Fernando Mason (OFMConv).

Durante parte significativa desses 75 anos, a Diocese de Piracicaba já contou com sete Planos de Pastorais, que sempre orientaram e animaram a sua caminhada evangelizadora, missionária e pastoral.

Mas, o que é um “Plano de Pastoral” e para que serve? O Plano de Pastoral é um documento oficial da Diocese no qual se apresenta o conjunto de atividades articuladas entre si numa visão orgânica e processual e que indica, de certo modo, como se chegar a um objetivo comum. É sempre elaborado em sintonia com a caminhada evangelizadora, missionária e pastoral da Igreja no Brasil expressa nas suas “Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora”. Não é um documento para ficar no papel. Não é um subsídio optativo para ser usado por quem o desejar. Sem um Plano, corremos o risco de “fazer tudo e nada ao mesmo tempo”, permanecendo numa “pastoral de manutenção” com pouca irradiação e crescimento na fé. Um Plano de Pastoral é sempre a indicação de um caminho seguro para conduzir o serviço evangelizador, missionário e pastoral da Diocese no espírito da comunhão e participação, na construção da identidade, espiritualidade e missão de uma Igreja Diocesana.

O I Plano de Pastoral foi promulgado para os anos de 1981 a 1983 e tinha como objetivo geral “criar condições (mentalizar, formar pessoas, organizar), para que a Igreja Diocesana torne-se profética e servidora, voltada para o trabalho de fazer discípulos de Jesus Cristo dedicada à formação de pequenas comunidades, e comprometida com a organização do povo, sobretudo dos pobres, na defesa de seus direitos fundamentais para a construção de uma sociedade mais fraterna”, e apresentava as seguintes prioridades pastorais: a) Comunidades Eclesiais de Base (CEBs); b) Renovação e dinamização da estrutura paroquial; c) Pastoral no mundo do trabalho; d) Pastoral Catequética. Era um Plano que procurava colocar a Diocese de Piracicaba em sintonia com a caminhada da Igreja no Brasil.

O II Plano de Pastoral, em vigor de 1984 a 1989, tinha o seguinte objetivo geral: “Ser uma Igreja profética e servidora voltada para o trabalho de fazer discípulos de Jesus Cristo, dedicada à formação de pequenas comunidades, e comprometida com a organização do povo, sobretudo dos pobres, na defesa de seus direitos fundamentais, para a construção de uma sociedade mais fraterna”. As prioridades pastorais desse Plano eram: a) Pastoral das CEBs; b) Pastoral da Família; c) Pastoral da Juventude; d) Pastoral Operária; e) Catequese. O I e o II Planos de Pastorais foram elaborados durante o trabalho do então pe. José Maria de Almeida como Coordenador Diocesano de Pastoral.

O objetivo geral do III Plano de Pastoral era: “Ser uma Igreja Profética e Servidora, voltada para o trabalho de fazer discípulos de Jesus Cristo, dedicada à formação de pequenas comunidades e comprometida com a evangelização e organização do povo, sobretudo dos pobres, na defesa de seus direitos fundamentais, para a construção de uma sociedade justa e fraterna, sinal do Reino definitivo”. Suas prioridades pastorais eram: a) Formar pequenas comunidades à luz das CEBs e ampliação do número de Círculos Bíblicos e grupos de quarteirão; b) Formação de agentes através de cursos de formação bíblica e dinâmica de grupos para reflexão, oração e ação; c) Formação de Ministérios Leigos; d) Preparação de Subsídios para grupos e comunidades (conteúdo e metodologia). Esse III Plano foi elaborado durante o trabalho do então pe. Sávio Carlos Desan Scopinho como Coordenador Diocesano de Pastoral.

O IV Plano de Pastoral, na verdade, teve duas versões: uma primeira, prevista para os anos de 1999 a 2002, e uma segunda, que atualizava esse Plano às orientações da CNBB e da Santa Sé para o “Projeto Rumo ao Novo Milênio” e o “Jubileu do Ano 2000”. O objetivo geral de ambas era o seguinte: “Em preparação ao grande Jubileu do Ano 2000, na força do Espírito Santo, com Maria, Estrela da Evangelização e sob a proteção de Santo Antônio, queremos: ser uma Igreja, renovada pelo ardor missionário, profética, acolhedora e servidora, que faça discípulos de Jesus Cristo, forme pequenas comunidades, promova o diálogo com o mundo, participe na organização do povo e, sobretudo, esteja voltada aos pobres, na defesa dos seus direitos fundamentais, buscando construir uma sociedade justa e fraterna a caminho do Reino”. As prioridades pastorais eram: a) Atualização das Normas da Pastoral do Batismo com ênfase na preparação, celebração e pós-batismo; b) Criação de equipes de visitação domiciliar; c) Atualização das Normas para o Sacramento da Crisma; d) Reforçar nos cursos de formação bíblico-catequética a identidade, vocação e missão dos cristãos leigos; e) Fortalecimento da PASCA; f) Criação de uma Equipe Diocesana para o Diálogo Ecumênico; g) Realização de um grande Congresso Eucarístico Diocesano, precedido por Congressos Eucarísticos Paroquiais e Setoriais. As prioridades também estavam ligadas aos temas do “Anúncio”, “Testemunho”, “Diálogo” e “Serviço”, sendo praticamente duas atividades preferenciais recomendadas às paróquias e aos “setores pastorais”; na segunda versão, as prioridades eram: a) Pequenas Comunidades; b) Formação de Agentes Pastorais; c) Presença da Igreja na Sociedade; d) Santas Missões Populares. O IV Plano de Pastoral, na primeira e segunda versões, foi elaborado sob a orientação do então Coordenador Diocesano de Pastoral, pe. Reinaldo César Demarchi.
Esses quatro Planos de Pastorais, quase cinco poderíamos dizer, foram promulgados durante o governo pastoral do terceiro bispo diocesano, Dom Eduardo Koaik, que procurou imprimir na Diocese de Piracicaba sua visão pastoral, a comunhão com a CNBB, a formação de Paróquias com redes de comunidades de base com espírito missionário e o protagonismo dos cristãos leigos e leigas na Igreja e na Sociedade.

Continuaremos na próxima publicação vamos falar dos demais Planos de Pastorais.

Pe. Kleber Fernandes Danelon
Coordenador Diocesano de Pastoral
(Desde agosto de 2016)
 

Onde estamos

Av. Independência, 1146 – Bairro Higienópolis
Cep: 13.419-155 – Piracicaba-SP
Fone: 19 2106-7575
Falar Conosco

Horários de Funcionamento

Cúria Diocesana

Segunda à Sexta das 08h às 11:30 e das 13h às 17h.

Assessoria de Comunicação

Segunda à Sexta das 13:30 às 17:30

Diocese de Piracicaba