“Eu te constituí como luz das nações para levares a salvação até os confins da terra” (At 13,47)
“Eu te constituí como luz das nações para levares a salvação até os confins da terra” (At 13,47)

Brasão diocesano

O Brasão Diocesano foi criado no ano de 2012 pelo Padre Altair Aparecido Soares, e foi revisado em 2018 pela empresa Adora Comunicações Católica, a partir de vários elementos simbólicos próprios da heráldica, da identidade, dos ideais, da essência e dos valores que norteiam a Diocese de Piracicaba.

Descrição

“Emoldurado ao corpo do brasão estão a mitra (símbolo do poder espiritual e da dignidade episcopal, forrada em vermelho, da qual descem duas ínfulas), a Cruz Processional (símbolo do caminho que nos leva à salvação), o báculo (símbolo da missão de conduzir todo o rebanho ao Cristo Salvador) e um listel com o nome da Diocese de Piracicaba.

No Campo vermelho do escudo do Brasão há um cesto com três pães, lembrando a caridade e o cuidado com os pequenos, marcas fortes de nosso padroeiro Santo Antônio. O número três é símbolo divino da plenitude. Retrata a Eucaristia, fonte e ápice da vida e da missão da Igreja. Este símbolo também lembra que a Diocese foi instalada no Congresso Eucarístico Regional, promovido pela então Diocese de Campinas, da qual foi desmembrada em 11 de junho de 1944. A cor vermelha simboliza a virtude do amor e do ardor missionário, da fortaleza, do martírio, da fidelidade e do serviço ao próximo.

No Campo cor ouro, a Sagrada Escritura e o Lírio de Santo Antônio. A Bíblia, Palavra de Deus, ilumina e conduz a ação evangelizadora da Diocese; foi fonte de sabedoria e inspiração de seu Padroeiro, Doutor Evangélico e exímio teólogo, Santo Antônio. O lírio refere-se à pureza, à castidade e ao vigor do testemunho de vida deste Santo, na sua entrega a Deus. A cor ouro indica a excelência da caridade, e mostra o amor e a nobre missão de pastorear o povo de Deus.

No Campo azul, os três rios que sulcam o território da Diocese: o Rio Piracicaba, que dá o nome à Diocese, e que na língua tupi significa “lugar onde o peixe pára”; o Rio Corumbataí, que na língua tupi significa “rio dos peixes corumbatá”; e o Rio Capivari, que na língua tupi significa “rio das capivaras”. A cor azul refere-se às virtudes da justiça, lealdade, doçura e piedade, e também é a cor de Maria, marcando assim nossa devoção mariana.

Ainda no campo azul, o peixe é símbolo da cidade de Piracicaba, sede da Diocese. As primeiras comunidades cristãs, para identificar sua pertença religiosa, utilizavam o símbolo do “peixe”, palavra essa que num acrônimo em grego antigo significa, “Jesus Cristo, Filho de Deus Salvador” ou “Jesus Cristo Salvador, Filho de Deus”. Os quatro peixes representam a abundância das bênçãos divinas sobre o nosso povo, e é símbolo da vida e da fartura.

Ao centro, a estrela de oito pontas, que representa a Virgem Maria. São Bernardo recorda que o nome Maria significa “estrela”, sendo a Virgem comumente invocada como “Estrela que guia no alto mar” (Stella Maris) e “Estrela da manhã”. No Brasão retrata Nossa Senhora dos Prazeres (ou das Alegrias), padroeira do primeiro povoado. Da estrela desce um raio de luz que se abre para os rios, representando o manto da Virgem Maria, Mulher vestida de sol (Ap 12,1), que protege e ilumina a nossa vocação e missão. A cor prata na estrela, nos peixes e na distinção das águas dos rios indica as virtudes da fé, amizade, justiça, pureza e integridade”.

.

Horário de Funcionamento

Cúria Diocesana

Segunda a Sexta das 8h às 11h30 e das 13h às 17h.

Assessoria de Comunicação

Segunda a Sexta das 13h30 às 17h30 Diocese de Piracicaba

Diocese de Piracicaba

Av. Independência, 1146 – Bairro Higienópolis - Cep: 13.419-155 – Piracicaba-SP - Fone: 19 2106-7575
Desenvolvido por index soluções